sexta-feira, 6 de março de 2009

luxúria

-

Consiste no apego aos prazeres carnais, corrupção de costumes; sexualidade extrema, lascívia e sensualidade.

A eterna busca do prazer, desejo passional.
"As paixões humanas não passam dos meios que a natureza utiliza para atingir os seus fins". Já dizia Donatien Alphonse François, também conhecido como Marquês de Sade. Que me perdoem os puritanos, mas acho sua obra genial, uma transgressão voluptuosa aos limites da moralidade transcrita de uma forma chocante e fascinante. Sade é considerado um dos pioneiros da revolução sexual, com suas idéias libertárias e permissivas, foi um dos primeiros a ter uma visão moderna da homossexualidade, pois defendia a existência de diferentes orientações sexuais para a humanidade. A libertação dos prazeres humanos em todos os sentidos e sem pudores. A ele, um brinde.

Eu bem poderia passar horas escrevendo sobre Sade e sua obra, mas vou me ater a Luxúria nesse momento. É pecado então se entregar as tentações da carne e seder aos nossos desejos mais ocultos? Diga então que se sente culpado cada vez que uma mão toca a sua nuca e enrola os dedos em seus cabelos com firmeza, cada vez que esta mesma mão descobre todo o seus corpo como um ato de desespero e te toca lhe deixando imóvel. O prazer de ter seu corpo envolvido por outro sedento de vontades é melhor que morfina, tesão, orgasmo, tudo isso é um fluxo de libido inexplicável. Diga: -Culpado! Todos juntos então em coro por favor, levantem a mão e não banquem os santinhos: - CULPADOS!


Nascemos de que maneira mesmo? Façamos amor e não guerra.

-
“Entendi que era o castigo pela transgressão da carne, que desafia a razão, e a submete à sua vontade.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário